Existem tantas razões mas a mais simples é porque o Google não quer. Porque é que não quer? Porque calculou, matematicamente e numa fração de segundo, que outros sites eram mais prováveis de agradar ao utilizador que fez a pesquisa.

Este cálculo, quase instantâneo, tem em consideração mais de 200 fatores que são obtidos em cada página que o Google indexa através do seu mecanismo de crawling de páginas, ou spider bot, um serviço que vai de página em página ler o conteúdo da internet. Ao aceder a uma página, o mecanismo faz uma série de cálculos em que atribui um valor à página. Quanto mais alto for esse valor, mais provável será aparecer no topo dos resultados de pesquisa.

E se lhe aparece a si o seu site, e aos outros não, é natural. O Google memoriza as suas preferências e utilização da internet para lhe oferecer os melhores resultados. Um exemplo disso, é que quando pesquiso por algum termo, me aparecem determinados resultados mas se navegar anonimamente, aparecem outros resultados ou noutra ordem.

Para ver como aparece o seu site aos seus clientes ou leitores, utilize um site proxy que lhe permita navegar anonimamente, como o hide.me. Depois indique, www.google.pt e efetue a pesquisa que pretende para ver onde o seu website aparece aos utilizadores.

 

Ao trabalho de optimização de páginas para que surjam no topo dos resultados dos motores de busca chama-se SEO, que significa Search Engine Optimization. Para quem não está por dentro, pode pensar que é simples e que aparece no topo quem paga mais, mas não. Os resultados do Google são divididos em 2: resultados pagos e resultados orgânicos.

Os resultados pagos surgem através do pagamento de particulares e empresas no serviço de publicidade do Google chamado Adwords. Os resultados orgânicos são calculados exclusivamente através dos cálculos efetuados pelo motor de busca.

Os resultados são diferenciados e surgem identificados e em localizações distintas na página de resultados do Google. Os resultados pagos surgem com a indicação que são publicidade, e os orgânicos aparecem no resto dos resultados da pesquisa.

Os links orgânicos, ou não-pagos, não são suscetíveis de serem indexados através de pagamento direto. De forma nenhuma. E os websites que tentarem através de técnicas maliciosas chegarem ao topo, aumentam em muito a probabilidade de serem excluídos dos resultados de pesquisa. Neste artigo vou ensinar em como colocar o seu site no topo dos resultados de pesquisa nos links orgânicos. Não é fácil, demora muito tempo, é muito complexo, mas é possível.

A forma mais rápida de conseguir atingir resultados é investir nos fatores mais relevantes para o mecanismo de indexação. Assim sendo, estes são …

SEO – Os 5 Fatores Mais Importantes

1. Click-Through Rate

É calculado de acordo com os clicks que recebe após uma pesquisa, ou seja, se uma pessoa pesquisar por [negócios online], e este blog aparecer no 5º lugar nos resultados de pesquisa, ao ser clicado indica que este deveria subir nos resultados. O click da pessoa ajuda a que suba.

Claro que agora não podemos ir todos clicar nos resultados de pesquisa para que suba porque o Google grava através de Cookies e IPs de utilizadores, quem clica e onde. Se fizermos isto nós próprios, donos do site, o provável é que o site baixe, ao invés de subir. Devem ser os utilizadores comuns, e o indexador tem em conta quem é que clica, ou seja, de que país vem e a que horas é que faz. Também tem em conta que websites a pessoa que clica usa e navega para interligar.

Para aumentar então o rate de clicks no nosso site, o melhor é termos boas Tags e Meta-tags na página e em boas posições (topo, por exemplo). A tag de título da página é a mais importante e deve ser descritiva, curta e chamativa. Depois a tag Description deverá descrever a fundo, ainda que de forma resumida, o que a página tem de forma a promover os cliques dos utilizadores. Além das meta-tags Título e Descrição, deverá ter em conta as tags de HTML H1,H2, H3 e <strong>. Sublinhe palavras importantes no seu site e artigos de forma ao Google saber o que é realmente importante. Pode ver neste artigo as frases que sublinhei e que considerei importantes, já que este blog serve também o propósito de indexar da melhor forma o site da Vortica.

Para ajudar na visualização das tags do seu site, pode utilizar o Browseo, um browser que destaca logo as tags mais importantes. O Browseo permite uma fácil leitura das tags mais importantes.

Também ajuda a que a página tenha snippets de forma a mostrar uma imagem ou vídeo ao lado dos resultados de busca já que está provado que esta pequena diferença promove a confiança dos utilizadores e aumenta também o click-rate.

Voltando à pesquisa, o utilizador após efetuar uma pesquisa, vai entrar numa página, e vai ver o conteúdo. E, em breves segundos, vai decidir uma de três situações:

1) Volta para trás

2) Tem o que queria e fecha a página

3) Gostou do que leu e vai continuar no site

Estas 3 opções voltam, mais uma vez, a classificar mais uma vez o resultado de pesquisa. Assim,…

Este fator é então o mais importante para qualquer site indexar bem no Google, e é duas vezes mais importante que o segundo!!

Existem algumas formas pouco politicamente corretas de melhorar o click-rate pelo que sugiro que opte mesmo pelas tags e pelo conteúdo de qualidade, de acordo com o que a descrição e título indicam à pessoa.

O endereço, uma vez que também aparece nos resultados de pesquisa, deve ser tido em conta. É pouco provável que alguém que procure [comprar casa] clique num resultado que tenha endereço www.limpeza-de-casas.pt. Tenha por isso em atenção ao escolher o endereço para o seu negócio ou site.

Resumindo tudo,

  • Tenha em conta o título das páginas, que deve ser diferente em cada uma delas, apelativo, resumido (entre 20 a 65 letras), e que descreva o conteúdo
  • Um bom resumo que descreva o conteúdo, de forma a não ter um bounce-rate elevado
  • Tags de relevância de conteúdo H1, H2, H3 e strong bem aplicadas
  • Snippets para apresentação de imagem junto aos resultados
  • Bom conteúdo, único, e nunca duplicado, de forma a que o leitor não volte atrás aos resultados de pesquisa

O que alguns sites fazem é partir o conteúdo em dois, levando o leitor a clicar num link para que leia o resto da notícia, como o Diário de Notícias. Aqui no blog, o que faço é apresentar notícias relacionadas no fim do conteúdo para que a pessoa continue a ler e links no meio do conteúdo também para a pessoa prosseguir, caso o artigo não tenha muito interesse.

2. Termos relevantes

É natural que o Google não saiba pensar como um humano então utiliza o próprio texto na página para conseguir atribuir relevância à página.

Uma vez que não utiliza imagens, vídeos ou animações para indexar o conteúdo, é no próprio texto da página que deverá estar a informação que o Google precisa para indexar a página. É importante assim ter conteúdo de texto no site com as palavras de pesquisa mais importantes destacadas de alguma forma.

Se pretender que o site seja encontrado para as palavras [comprar carro], estas devem aparecer naturalmente no meio do conteúdo até 3x, como na frase “Se pretender comprar um carro, deverá ter em conta os preços de mercado.”. Mais do que 5x começa a parecer pouco humano e prejudica o site.

Se necessitar de repetir essas palavras, deverá então utilizar sinónimos na mesma língua, de forma a não penalizar o site, mas, não se esqueça, o mais importante é o conteúdo ser informativo e interessante para quem lê de forma a que, tal como está indicado no ponto 1, o leitor deve-se manter no site e não voltar atrás para os resultados de pesquisa.

O conteúdo é tão importante para o Google que grande parte das vezes ignora o que está na descrição da página, nas meta-tags, e vai buscar partes de conteúdo ao próprio site e apresenta.

A descrição nos resultados pode ser apresentada com base no conteúdo da página, e não de acordo com as meta-tags de descrição da página.

Além do conteúdo em si ser importante, os textos devem estar bem escritos, sem gralhas ou erros. Sites em que o conteúdo tem erros e gralhas, algo que é facilmente detetável pelo Google, também é prejudicial para o PageRank.

Uma vez que o conteúdo é o segundo ponto mais importante nos resultados de pesquisa, a melhor forma para o seu site subir é ter algo que apresente conteúdo, muito conteúdo e de qualidade: Um Blog! Um blog é definitivamente a melhor forma de um website subir nos rankings do Google. Dá trabalho, é dispendioso, requer conteúdo bom e regular, mas é fundamental se pretende atingir o topo.

Se não consegue escrever conteúdo, compre esse serviço. Não faltam pessoas que ganham à comissão por artigo escrito com um número mínimo de palavras.

Pode ter um blog gratuito através do Blogger. Se pretender um mais complexo, com subscrição de newsletter, design diferenciado, plugins de notificação de plataformas, preparado para telemóveis e tablets, pode visualizar o meu trabalho como web designer e contactar-me para esse serviço. O importante mesmo é que tenha um blog associado ao seu site e este deverá estar dentro do seu domínio de url, ou seja, www.omeunegocio.com/blog. Não crie um blog fora como www.omeunegocioblog.com porque o Google vai considerar sites diferentes, mesmo que tenham ligações entre eles e aí não beneficia em nada o seu site base nos motores de busca.

3. Google +1

Aquela que foi considerada como a Rede Social Fantasma, Google+, é um dos fatores mais desconhecidos mas mais importantes na indexação de websites no seu motor de busca. Talvez seja esta ainda a razão de ser uma cidade fantasma, e não uma cidade desaparecida.

Os bloggers já sabem disso há bastante tempo e daí apresentarem um botãozinho do Google no fim dos artigos na esperança que alguém clique. É raro mas quando acontece, é muito mais importante que os likes do Facebook ou os retweets do Twitter.

Aqui, a única sugestão que dou, é realmente incluir um botão do Google+ nos seus artigos e torcer para que pessoas cliquem lá em força. Para promover isto, também ajuda se divulgar os seus artigos do blog na sua página do Google+. Isso pode ser  configurado diretamente no blog de forma a que a cada novo artigo, ele seja automaticamente publicado no Google+, além do Facebook, Twitter e outras redes sociais, como acontece aqui. Esta é a razão de, apesar de o blog existir há muito pouco tempo, já ter diversos G+1. A ferramenta que utilizo nos blogs que crio para divulgação automática de artigos nas redes sociais é o plugin Jetpack Publisher.

4. Backlinks

Backlinks são links de outros sites para o seu.

Para explicar como isto deve ser utilizado, é importante explicar o que é o Index Google PageRank. Este index é um valor que o Google atribui a cada site. Vai de zero a dez, sendo o zero o menos importante, e o dez o mais importante. Esta importância é baseada em cálculos feitos pelo motor de busca consoante:

  1. O número de backlinks – quantos mais backlinks um site tem, maior é o seu Page Rank
  2. Qualidade dos backlinks – se os links vierem de sites com Page Rank alto, maior é o Page Rank do nosso site. Se os links vierem de sites com Page Rank baixo, então menor será o nosso Page Rank
  3. Contexto dos backlinks – se os links vierem de sites com o mesmo contexto do nosso (negócios online no caso deste blog), então maior será o nosso Page Rank. Se os links vierem de sites que nada têm a ver com o nosso, isto é prejudical!

Os links devem vir de sites e blogs do assunto/contexto do seu site, e com o melhor Page Rank possível. O PageRank deste site aqui, por exemplo, é de 2, sendo o valor máximo de 10, caso de sites como o www.google.com. Para saber qual o page rank do seu site, utilize a ferramenta Online PageRank Checker.

Há quem faça movimentos pouco éticos onde são colocados links para o nosso site em sites pornográficos ou criminosos, de forma a piorar o nosso Page Rank. Estes links são detetáveis através de determinadas keywords no Google e podem ser pedidos para serem analisados pelo Google, através do Google Webtools Disavow.

Algo que pode fazer para conseguir backlinks é fazer troca de parceria com sites de fornecedores ou clientes. Pode inclusivé criar uma página própria no seu site só para o efeito.

O blog, mais uma vez, também pode contribuir para o efeito uma vez que muitos leitores irão partilhar o conteúdo nos seus sites e depois ligar para o seu como referência. Isto, mais uma vez, irá beneficiar em muito o seu site.

Foi através desta forma que consegui um Page Rank de 4 em 10 num blog de notícias estranha que escrevia e que chegou ao Ranking 10º dos Blogs Nacionais. Tinha na sidebar do blog uma lista de parceiros, divididos pelos que mais visitas me traziam, pelo que gerava competição e então mais pessoas queriam participar na parceria. Eu tinha estipulado um máximo de links que apresentava, no entanto, os maiores sites tinham interesse natural em querer estar no top dos parceiros porque sabiam que apareciam no topo e que iriam receber mais visitas. Toda a gente ganhava.

Outra forma de conseguir backlinks é por iniciativa própria. Visite e participe em fórums da sua especialidade e na assinatura coloque o endereço do seu site. Isso gerará um backlink para o seu site e irá beneficiar seu site nos resultados de pesquisa. Outra forma é visitar blogs de sites da sua especialidade e, na zona de comentários, comente e indique o endereço do seu site na referência. Isto fará com que, após o comentário ser aprovado, surja um backlink para o seu site.

5. Facebook Shares

O Facebook é conhecido como a rede social global e o Google não podia ignorar, apesar de ser concorrente do Google+. Assim, ao ser partilhado conteúdo no Facebook, isto é um indicador de que o seu conteúdo é importante.

A probabilidade de conseguir Shares partilhando a sua página no Facebook é praticamente nula. Mesmo que a probabilidade seja grande, é apenas um conteúdo. Não dá para repetir. É a sua página.

A melhor forma é então, mais uma vez, através do seu blog e dos respetivos artigos. Deve escrever artigos no seu blog e depois partilhar no Facebook. Os artigos devem ser interessantes para que sejam partilhados inúmeras vezes.

Por vezes, uma vez que não é fácil ter conteúdos partilhados, pode optar por escrever artigos só para o efeito em que apele à partilha, com fotos fofinhas, polémicas, ou mensagens apelativas que promovam a partilha. Outra técnica é promover concursos em que a partilha faça parte das regras. Quanto mais pessoas conseguir que partilhem o artigo, melhor. Pode por vezes ser só uma foto. O importante é que o conteúdo seja um link do seu site, e não um post do Facebook.

Nota: Os posts do Facebook individuais, que não incluam links para o seu site, não promovem os resultados de pesquisa no Google.

Existem, tal como disse, mais de 200 pontos que são importantes na indexação dos resultados, mas estes são os 5 mais importantes.